• Programa de Estágio

Centro Antigo

23/03/2017 16:03

Intervenções tornam área do Centro Antigo de Salvador mais atrativa

Um novo capítulo da história do Centro Antigo de Salvador é escrito com inúmeras intervenções nas áreas de infraestrutura urbana, habitação social e recuperação externa de igrejas e casarões históricos. No território, formado pelo centro histórico e mais onze bairros onde se encontram 70% dos equipamentos culturais da capital baiana, calçadas e vias danificadas já dão lugar a ruas pavimentadas e calçadas alargadas, com melhorias na acessibilidade. Todas as obras de requalificação fazem parte de projetos que pertencem ao Plano de Reabilitação do Centro Antigo de Salvador.

De acordo com o titular da Diretoria do Centro Antigo de Salvador (Dircas), unidade da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), Maurício Mathias, o objetivo é recuperar a área, uma das mais antigas da cidade. Para Mathias, as intervenções são fundamentais para que a movimentação de pessoas seja intensificada, estruturas culturais contempladas e a economia fortalecida na região.

“Durante muito tempo, o centro antigo passou por degradação. As pessoas se afastaram desta parte da cidade. Estamos investindo na requalificação para que volte ser agradável visitar o centro antigo. Para os comerciantes, moradores e visitantes será muito interessante”, afirma.

Através do projeto Pelas Ruas do Centro Antigo, planejado e executado por etapas, as obras já foram concluídas em 51 ruas e outras 57 vias estão com frentes de trabalho. No total, mais de 260 vias serão contempladas em Salvador, com investimento de R$ 124 milhões. Aos poucos, bairros como Comércio, Dois de Julho, Nazaré, Tororó, Barbalho, Mouraria e Jardim Baiano, ganham rampas de acesso, piso tátil, travessias para pedestres, ciclofaixas, postes de iluminação e sinalização para facilitar o acesso das pessoas.

No entorno da Arena Fonte Nova, as intervenções incluem a substituição de meio-fio, a demolição dos passeios antigos e a construção de novos, como forma de garantir o fluxo de pessoas e veículos pela região. Até o momento já foram finalizadas as obras no Vale de Nazaré (do Aquidabã ao bairro da Saúde e da Arena Fonte Nova até a Estação da Lapa) e estão em fase de conclusão as obras na Rua Djalma Dutra. Além disto, operários trabalham na via que liga a Vasco da Gama ao estádio e, em breve, serão iniciadas as intervenções na área da Sete Portas, sentido Aquidabã.
Na Baixa dos Sapateiros, o Quartel do Corpo de Bombeiros, a Praça dos Veteranos e a Ladeira do Pax também passaram por obras. O local teve a infraestrutura recuperada e já é possível transitar e visitar lojas sem dificuldades.


Pelourinho

Por meio da Conder, casarões antigos e igrejas tradicionais do centro histórico têm as fachadas recuperadas. A reforma de telhados e pavimentos, assim como a recuperação de praças e largos também integram a série de ações para a manutenção da área, por onde circulam 530 mil pessoas por ano. Um exemplo é a Praça Tereza Batista, que teve a estrutura metálica e cobertura trocadas, pintura das fachadas dos imóveis além da reforma do palco e camarins.

A Fundação Casa de Jorge Amado, no Largo do Pelourinho, também passa por melhoria, com a reforma da fachada. Para a diretora executiva da entidade, Ângela Fraga, o local tem ficado ainda mais atrativo. “Estudantes e turistas costumam a procurar a Casa de Jorge Amado para visitar, conhecer e aprender um pouco mais. A fachada é o primeiro contato e precisava realmente ser melhorada. Acredito que as pessoas tenham ainda mais vontade de vir para cá”, destaca.

No mês em que Salvador completa 468 anos, a requalificação presenteia a população, e quem vive do comércio comemora. “É muito bom para o Pelourinho ter esse tipo de obra. O lugar que é um dos cartões postais da cidade fica mais bonito, e isso atrai os turistas. Consequentemente, temos aquecimento do comércio”, afirma a comerciante, Maristela Almeida.


Repórter: Leonardo Martins (Secom/GOVBA)
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.